AAPI é a prova concreta da força da

IPATINGA/MG – Contrariando os questionamentos feitos contra a organização sindical, a Associação dos Metalúrgicos Aposentados de Ipatinga (AAPI) exibe a solidez de uma entidade de utilidade pública e filantrópica, cujo objetivo é prestar assistência aos associados e, assim, cumprir o objetivo de lutar pela dignidade daqueles que construíram os alicerces que sustentam o país.

Enquanto a reforma trabalhista, aprovada e sancionada em julho, que começa a vigorar em novembro, alterou 117 artigos da Consolidação das leis do Trabalho (CLT) e extinguiu o imposto sindical, os Metalúrgicos do Vale do Aço construíram, a partir de 1980, patrimônio de fazer inveja às maiores entidades sindicais do Brasil.

Além da sede administrativa, localizada no Bairro Areal, a estrutura é integrada por unidades descentralizadas nos bairros Jardim Panorama, Canaã e Cidade Nobre, mais o Clube dos Pioneiros, no Bairro Bom Retiro. O conjunto de bens é completado da Associação é completado pelo prédio do Recanto dos Pioneiros, que abriga apartamentos disponíveis para o lazer dos associados, em São Mateus, município do litoral capixaba.

PRIMEIROS PASSOS DOS PIONEIROS

Sob os ares da redemocratização, um grupo de metalúrgicos promoveu a primeira reunião visando criar da Associação dos Metalúrgicos Aposentados e Pensionistas de Ipatinga. O encontro, realizado no dia 6 de abril de 1980, teve lugar na residência do aposentado Leandro Soares, mas oficialmente, o dia 06 de setembro é considerado data de inauguração da AAPI, quando ocorreu a votação em assembleia que aprovou a construção da entidade.

Os pioneiros não imaginavam que 37 anos depois a AAPI seria a segunda associação do segmento no Brasil, atrás somente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda (AAPVR), a maior Associação de Aposentados da América Latina, “em alguns aspectos”, conforme frisa o vice-presidente da Associação, Elias Caetano Ferreira, que projeta para os próximos três anos um crescimento capaz de fazer com que a AAPI supere a entidade carioca.

A união e a organização da classe dos aposentados e pensionistas tornaram as duas entidades uma realidade. Ao redor da AAPVR, fundada em 1973, estão mais de 45 mil associados e da AAPI outros 26 mil. Em comum, um começo em que as duas entidades ocupavam sedes provisórias e constituíram sólido patrimônio, com sedes próprias, modernas e acessíveis, que oferecem conforto e segurança aos seus funcionários e associados.

“Tal perspectiva nos leva a formular novos projetos e aprimorar a capacidade de planejar e fazer as previsões”, declarou Ferreira, no encontro com representantes da Força Sindical e do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos, realizado na tarde de 29 de agosto, na sede da Delegacia Regional do Vale do Aço do Sindicato dos Técnicos Industriais de Ipatinga (Sintec-MG).

PREENCHER LACUNA DEIXADA PELO ESTADO

A missão de prestar atendimento de qualidade e oferecer serviços aos aposentados, pensionistas e os dependentes, nas áreas de saúde, lazer, educação, assistência social e assessoria jurídica, a AAPI construiu ampla rede de convênios em áreas diversas, com atendimento em clínicas médicas e estéticas, clínicas odontológicas e de fisioterapia, clínicas de ultrassonografia e de fonoaudiologia, clínicas de oftalmologia e de psicologia, psiquiatra, ginecologista, podólogo, dermatologistas, nutricionistas, laboratórios, farmácias, funerária, centros de material ortopédico, óticas, aparelhos auditivos e o Banco Sicoob.

O Departamento de Assistência Social da AAPI ainda oferece cursos de teatro, violão, flauta e teclado e promove apresentações públicas dos alunos no clube dos Pioneiros. Também o Coral da Associação, coordenado por Íris Gauderetto, demostra da evolução dos alunos do curso de musicalidade.

Renato Ilha, jornalista (MTb 10.300)